fbpx

Você sabe o que é uma longevidade ativa? É um conceito extremamente valioso para a manutenção da saúde do nosso familiar idoso, seja homem ou mulher.

É muito comum que, com o passar dos anos, pessoas idosas acabem se tornando introspectivos e fechados às novas experiências.

A melhor forma de auxiliá-los a se manter sempre ativos e saudáveis é tratá-los com respeito e educação. Além das necessidades físicas, as pessoas também possuem necessidades emocionais, sociais e culturais. Seu cérebro precisa estar constantemente sendo exercitado e desafiado.

Para isso, eles precisam ser expostos a novas experiências, pessoas diferentes e, principalmente, sentirem que são úteis e queridos no lar. Ser incluso no cotidiano da casa é um dos pilares de uma longevidade ativa.

Além disso, é importante que a pessoa idosa possua contato com pessoas que se importam com ele para além da família.

Partindo deste contexto, compilamos abaixo 6 formas para ajudar um familiar idoso a ter uma longevidade ativa. Confira!

1 – Tenha interesse em suas histórias

Formas de Ajudar o Familiar Idoso a Ter uma Longevidade Ativa

Nesse ponto da vida, é muito comum sentir uma certa desconexão com a realidade que o cerca. Isso pode gerar um desconforto muito grande na vida da pessoa idosa, que pode se tornar introspectiva e inativa.

Quando é dada atenção às histórias que a pessoa idosa conta, você valida sua experiência de vida. Mesmo que seja uma história que ele já tenha contado algumas vezes antes, demonstrar interesse é uma forma de criar um canal de comunicação.

Mesmo buscando atividades externas, o principal contato humano que a pessoa idosa possui é com a família. Quando ele sente que ela se importa com suas histórias e experiências, ele se abre para o mundo externo e se sente confiante.

2 – Tenha paciência com seu ritmo

Lembre-se: as pessoas idosas não necessariamente possuem a mesma prontidão que as pessoas jovens. Não adianta apressá-los para comer, andar ou levantar. Para que eles tenham uma longevidade ativa, é preciso que seu ritmo seja respeitado em qualquer atividade.

Isso não significa que se deve isentá-los de qualquer tarefa ou exercício. Eles precisam manter o corpo em funcionamento, só o farão de forma mais lenta que os demais. Se feito isso, eles se sentirão úteis aos demais.

3 – Viva novas experiências

É importante que a pessoa idosa não fique presa dentro de casa. Para que seu cérebro se mantenha em funcionamento e seja frequentemente exercitado, é preciso que ele viva novas experiências.

Tarja convidando a acessar o modelo de lista de consultas anuais de rotina para atentar seu familiar idoso

A exposição a novas experiências ajuda na manutenção de sua memória de curto prazo. Isso também auxilia no combate a doenças como o Alzheimer, por exemplo. Novas experiências incluem viagens, aulas e cursos, visitas a restaurantes e centros culturais etc.

Levar uma pessoa idosa à uma exposição de arte, teatro, cinema ou atividades de lazer fará com que ele adquira novos interesses, hobbies e memórias, proporcionando um envelhecimento saudável.

4 – Tenha uma comunicação não-violenta

Você sabe o que é a comunicação não-violenta? É uma forma de comunicação baseada na expressão de suas próprias emoções no contato com o outro. É importante estabelecer uma via de comunicação saudável com a pessoa idosa, para prevenir desgaste emocional.

A ideia da comunicação não-violenta é falar sobre os problemas do convívio sem agredir o outro, dando ênfase à atitude que se quer mudar, ao invés de focar em encontrar um culpado para determinado comportamento. Para isso, ao invés de cobrar uma mudança da pessoa, você pode primeiramente mostrar uma compreensão do lado do outro, assim gerará empatia com o seu ponto de vista individual.

Na sequência, é sugerido que sejam apresentados os fatos crus de determinada situação que se queira melhorar, revelando como se sente e como gostaria que acontecesse. Assim, a pessoa estará mais aberta a negociação.

Pessoas idosas podem ser relutantes quanto a mudanças de comportamento. Portanto, seja paciente e busque chegar a um acordo. Manter a comunicação fluente é um passo importante para uma longevidade ativa.

5 – Ensine a usar novas tecnologias

Uma das questões que mais impedem as pessoas idosas de serem incluídos no cotidiano da atualidade é a barreira tecnológica. Smartphones e tablets são ferramentas que não existiam em sua juventude e a sua compreensão pode ser muito mais desafiadora pelos mais velhos.

Quando você ensina a pessoa idosa sobre o funcionamento da internet e das redes sociais, eles poderão se atualizar sobre seus hobbies, conhecer novas pessoas e descobrirem novas atividades. É uma porta de entrada deles para o mundo exterior.

Porém lembre-se, aprendizado leva tempo e paciência. A pessoa idosa pode reagir defensivamente à aquisição de novos conhecimentos. Aqui entra a paciência e respeito a seu ritmo. Se você dispuser do tempo necessário, a pessoa idosa se sentirá valorizada e estimulado a aprender mais.

6 – Pratique sua escuta ativa

A escuta ativa conflui com o dito anteriormente sobre demonstrar interesse nas histórias da pessoa idosa. É uma ferramenta de comunicação baseada em entender o que o outro quer expressar sem um julgamento prévio.

A ideia é tentar se colocar no lugar da pessoa e entender que, mesmo que você não concorde com seu ponto de vista, ela tem a necessidade de lhe expressar aquele sentimento.

É muito comum negligenciar a opinião das pessoas idosas sobre o mundo, principalmente por acreditarem que estes são frutos de uma época anterior à nossa. Porém, ao se fazerem ser escutados, as pessoas idosas se abrem muito para a comunicação familiar.

Tarja convidando a acessar o modelo de lista de consultas anuais de rotina para atentar seu familiar idoso
Menu