fbpx

Fortalecer a rede de apoio acerca de um idoso é fundamental para garantir a ele a atenção e os cuidados necessários. Assim, tanto o acompanhante quanto o cuidador de idosos pode ser a ajuda profissional essencial para isso.

Curiosamente muita gente sequer sabe a diferença entre essas duas diferentes funções e há um mal entendido na hora de contratar. Afinal, será que um é melhor do que o outro?

Definições De Acompanhante E De Cuidador

Para conseguir definir se o que você precisa é um cuidador de idosos ou um acompanhante, a primeira coisa importante é realmente entender exatamente o que significa cada uma das palavras.

  • Acompanhante:

Acompanhante, ou concierge, tem o seu termo de origem francesa que é amplamente utilizada no ramo hoteleiro e refere-se ao profissional que cuida, ampara e atende as necessidades dos seus contratantes.

Na prática, atua geralmente em atividades externas, acompanhando o seu contratante em idas a consultas ou exames, atividades burocráticas, compra em mercados ou feiras e, inclusive, em passeios na rua com os animais de estimação.

  • Cuidador:

O cuidador de idosos cumpre um papel de cuidados médicos além de oferecer os cuidados básicos, higiênicos e tomar conta de toda a rotina do idoso, desde os remédios que ele toma até as conversas necessárias para deixá-lo feliz e calmo.

Embora ambos os cargos tenham como premissa os cuidados com a pessoa mais velha, existe uma diferença que pode ser percebida principalmente no comportamento de cada um dos profissionais.

Podemos dizer que o acompanhante é voltado para tarefas mais simples, como um passeio, e as demandas de rotina. O cuidador, por sua vez, precisa ter experiência em atender necessidades bem específicas. Vamos entender melhor isso no próximo tópico.

Tarja convidando a acessar o estudo de caso da dona sofia com um broder

Qual É A Sua Necessidade – Acompanhante ou Cuidador de Idosos?

Para entender qual dos dois profissionais é mais indicado é importante primeiro compreender amplamente qual é a necessidade do idoso. Assim ficará mais fácil escolher entre um cuidador de idosos ou um acompanhante .

  • Gostaria de sentir segurança e tranquilidade para ir em alguma atividade externa (ACOMPANHANTE):

O acompanhante é sem dúvidas o profissional mais indicado nesse caso. Ele consegue garantir a segurança do idoso prestando um atendimento gentil, sendo agradável durante um passeio etc.

  • Gostaria de ter uma companhia agradável para algum passeio informal (ACOMPANHANTE):

Além de prestar atenção em todos os detalhes que dizem respeito a segurança do idoso, o acompanhante também sabe ser agradável, e se torna uma companhia indispensável para os passeios externos, tornando os momentos mais agradáveis.

  • Tem alguma necessidade de assistência médica específica ou delicada (CUIDADOR):

O cuidador possui um preparo único para atender necessidades especiais. Por exemplo, alimentação ou necessidades particulares. Por exemplo, alimentação via sonda, cuidador com higiene especial, limpeza e manutenção e ferimentos.

É um profissional que também tem trato com o idoso, será gentil e agradável, no entanto terá foco nas atividades práticas e essenciais para o bem-estar também.

Quando Saber Quando Chamar Um Acompanhante?

O que vai dizer qual é a hora certa de fazer o chamado é a necessidade do idoso. Parte da família e de toda a rede de apoio compreender melhor as demandas dessa pessoa. Por exemplo, é preciso entender quando o idoso não deve mais ficar só.

Muitos acidentes acontecem dentro de casa, com idosos que acabam caindo e se ferindo sem que ninguém esteja por perto para prestar o devido atendimento.

Isso é um risco altíssimo, e muitas pessoas – mesmo aquelas assistidas por programas sociais, profissionais de saúde e etc – só percebem a grande necessidade de ter um profissional ao lado quando o acidente já ocorre

.

Veja Os 3 Motivos Para Contratar Um Acompanhante

Existem diversas razões pelas quais é importante contar com a ajuda de um profissional para olhar o idoso, independentemente da situação em que ele se encontra – se muito ativo ou não.

  • Acolhimento:

O acompanhante poderá garantir um acolhimento único, oferecendo a pessoa a atenção, paciência e os cuidados que muitas vezes a família já não consegue mais oferecer.

Por outro lado, a pessoa se sentirá acolhido sem sentir que está “atrapalhando” alguém, pois, sabe que aquele profissional está ali justamente para ajudá-lo.

  • Tranquilidade e Segurança:

O acompanhante terá responsabilidade em garantir que a pessoa esteja em ambientes externos seguros e, amenizando abordagens de risco vindo de estranhos na rua, independente da idade ou grau de autonomia da pessoa idosa.

Tarja convidando a acessar o estudo de caso da dona sofia com um broder
  • Apoio emergencial:

O apoio emergencial é essencial, e pode ser o grande diferencial entre a solução de um problema e seu agravamento. Por isso, ter uma pessoa assistindo o idoso o tempo inteiro é mais do que importante – é fundamental.

O acompanhante poderá cumprir esse papel, ajudando a pessoa a ter mais segurança, evitando quedas, e prestando todo o apoio essencial para que ela tenha mais conforto e qualidade de vida em todas as ocasiões.

 

 

Menu