fbpx

Manter o bom humor na longevidade ativa é algo absolutamente possível. Especialistas explicam que a chave para isso é o autoconhecimento e a autoestima, dois fatores que se mantêm intrinsecamente relacionados.

Foi-se o tempo em que envelhecer era sinônimo de dependência. Mesmo que a pessoa idosa tenha algumas necessidades e demande cuidados, hoje em dia as pessoas tendem a chegar na senioridade muito mais ativas e saudáveis.

E o bom humor é parte essencial desse processo e provavelmente uma das coisas mais importantes para quem quer ter um envelhecimento saudável e consideravelmente feliz.

Mas, uma pergunta que muitas pessoas se fazem é: o que é felicidade? Quais são os segredos para se sentir pleno e contente com tudo o que tem? Esse talvez seja o maior mistério da humanidade.

Como Manter O Bom Humor Para Uma Longevidade Ativa?

Autoconhecimento como a chave

Embora não exista uma fórmula mágica ou mesmo uma receita de bolo que possa ser seguida à risca para proporcionar mais prazer e felicidade, isso pode ser encontrado a partir de autoconhecimento.

O autoconhecimento não é apenas uma ferramenta, mas a chave para manter o bom humor na longevidade ativa. Afinal, é nele que se encontra as possibilidades de crescimento e desenvolvimento pessoal.

  • Afastando pensamentos e sentimentos negativos:

Uma das coisas que o autoconhecimento nos ensina é ter um maior controle e poder sobre suas emoções. Isso significa que é absolutamente capaz de afastar pensamentos que tenham intenção de comprometer a sua autoestima ou de sabotar os seus planos e a sua felicidade.

Além disso, praticar a gratidão, bem com o perdão genuíno, contribuem diretamente para uma vida mais leve e plena, aceitando com menos resistência as limitações de cada um e o seu processo de evolução.

É interessante também compreender qual é a natureza de cada um do nosso círculo pessoal íntimo e quais são as necessidades específicas que cada um demanda. Para isso, a ciência da Antroposofia pode dar uma luz de veras útil.

Qual É O Meu Temperamento Segundo A Antroposofia?

Segundo Rudolf Steiner, fundador do movimento antroposófico, existem quatro diferentes temperamentos humanos que são identificados e listados. A partir da compreensão deles você pode entender muito sobre você, suas atitudes e respostas, e obter maior autoconhecimento.

Para facilitar a nossa compreensão, os quatro temperamentos foram organizados segundo os arquétipos dos elementos do planeta. Vale ressaltar que os temperamentos estão relacionados com a forma na qual os indivíduso reagem aos acontecimentos, fazendo parte de sua natureza. Confira:

 

  • Fogo (Colérico):

O colérico traz um comportamento forte e heroico. Ele tem sempre um grande feito para contar, possui um brilho no olhar e, por gostar muito de tomar a iniciativa, é cheio de vontade de fazer acontecer. Pode parecer por vezes convencido e sempre contará uma história a partir de um grande feito seu.

Tem um senso de justiça forte e, como constantemente está em movimento, tende a ter um corpo naturalmente mais atlético. Precisa atingir pequenas metas ou cumprir desafios para manter a sua motivação ativa.

 

Tarja convidando a acessar o guia gratuito de tendencias do mercado de longevidade
  • Ar (Sanguíneo):

Podemos dizer que esse comportamento é mais “viajado”. Uma pessoa com olhar atento, porém extrovertido. É capaz de ter várias ideias, muito criativo e gentil. Possui muitos amigos, consegue conversar sobre qualquer coisa.

Faz várias coisas ao mesmo tempo, lê muitas notícias, debate sobre diversos temas, é capaz de transformar uma orelha de livro em uma bela palestra, desdobrando aquele tema com sabedoria.

 

  • Água (Fleumático):

Um comportamento mais comportado, controlado. Embora demonstre pouca excitação – um fleumático dificilmente pulará de alegria por alguma razão, pois costuma ser contido – é muito objetivo e prático, fazendo o que precisa ser feito.

É confiável, sobretudo para o trabalho. Muito comedido, gentil, sabe usar as palavras. Costuma ter muita calma e paciência, porém quando algo realmente o tira do sério, é melhor se preparar para o tsunami.

 

  • Terra (Melancólico):

O Melancólico é profundo e sentimental. Costuma desenvolver simpatia mais facilmente por pessoas que sejam como ele. Prefere trabalhar sozinho do que em grupo e pode adotar comportamento egoísta se sentir ameaçado.  Costuma ser avesso a mudanças, porém quando decide realizar algo, vai até o final.

Quais são as minhas características anímicas predominantes?

O conhecimento das qualidades anímicas também podem ser usadas para manter o bom humor na longevidade ativa. Elas são divididas em 7 diferentes qualidades representadas por arquétipos dos planetas (para facilitar a nossa compreensão) e atribuem às formas que os indivíduos agem, ou seja, podemos conscientemente praticar todos eles, veja:

  • Lua: sonhador, gosta de conservar memórias e acolher;
  • Mercúrio: flexível, adora sugerir, gerar novas ideias e se relacionar com diferentes estilos de pessoas;
  • Vênus: Possui um senso de estética aprimorado, adora harmonizar o ambiente e apoiar ideias;
  • Sol: Equilibrado, é reconhecido por incentivar a autoconfiança e integrar as pessoas;
  • Marte: Agressivo, tem como principal talento empreender;
  • Júpiter: Do tipo dominante, pratica o pensativo global e estratégico;
  • Saturno: é questionador, crítico e pesquisador.

Conhecer um pouco sobre as sete personalidades é uma forma interessante de começar a buscar por autoconhecimento. E isso pode ajudar a manter o bom humor na longevidade ativa.

Quais São As Minhas Necessidades Individuais Para Ter Uma Rotina Feliz?

É essencial relembrar que os desafios para entender e encontrar a felicidade não surgem apenas na terceira idade. Na verdade, ela nos acompanha por toda a vida.

Além disso, é importante a olhar com carinho e empatia para a história de nós mesmos e das pessoas mais próximas que nos cercam. Nós chegamos até aqui com uma bagagem incrível, com garra e conhecimento e cheio de histórias particulares, que jamais serão vividas da mesma forma por outra pessoa.

Tudo isso pode ser percebido e despertado com o autoconhecimento, que gera com mais frequência sentimentos de tolerância e aceitação. E com essa consciência tão simples, mas árdua, acerca do seu valor será muito mais fácil manter o bom humor na longevidade ativa.

O autoconhecimento nos faz entender que somos valiosos enquanto indivíduos, e que isso nos faz ser valorosos também enquanto sociedade. Afinal, todos temos algo a aprender e a ensinar.

 

Menu